Stratégie globale de l’UE

Declaração do alto representante, Josep Borrell, em nome da União Europeia, por ocasião do Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, em 17 de maio de 2020

17/05/2020 - 15:19
News stories

​​​​​​​Por ocasião do Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, a União Europeia presta homenagem à diversidade humana, em toda a sua riqueza, e ao direito de qualquer pessoa a orgulhar-se daquilo que é, a definir a sua própria identidade e a amar a pessoa da sua eleição.

Num mundo em que as atenções se concentram no esforço para conter a pandemia de COVID-19, recordamos e salientamos os particulares desafios que as pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexuais (LGBTI) enfrentam em muitas partes do mundo. As pessoas LGBTI veem-se muitas vezes confrontadas com o estigma, a discriminação e restrições no acesso aos serviços de saúde, em consequência de leis discriminatórias e atitudes sociais negativas. A falta de apoio da família ou da comunidade aumenta a vulnerabilidade de muitas pessoas LGBTI à violência, ao desemprego, à pobreza e à condição de sem abrigo. Saudamos a declaração da Alta Comissária para os Direitos Humanos sobre a ação específica que é necessária para proteger as pessoas LGBTI no contexto da pandemia e salientamos a importância de trabalhar em estreita ligação com as comunidades LGBTI ao planear e executar as estratégias nacionais destinadas a fazer face à pandemia.

É inaceitável que se continuem a verificar, sem qualquer responsabilização, violações e atropelos dos direitos humanos em todas as partes do mundo, com base na orientação sexual ou na identidade de género (presumidas ou reais). A criminalização da orientação sexual e a falta de reconhecimento das identidades transgénero e intersexuais levam ao estigma e à marginalização das pessoas LGBTI, multiplicando as dificuldades com que se debatem para recorrer livremente aos serviços de saúde. As pessoas LGBTI são também vítimas de violência e maus tratos, quando se assiste ao aumento da violência doméstica durante o confinamento. Agora, mais do que nunca, chegou o momento de a comunidade internacional renovar os compromissos assumidos para combater todas as formas de violência, de discriminação, de discursos e crimes de ódio contra as pessoas LGBTI com base na orientação sexual, na identidade de género ou noutros motivos.

A UE mantém-se firme na sua determinação em combater a impunidade das violações dos direitos humanos, da discriminação e dos abusos contra as pessoas LGBTI em todo o mundo. Com o lançamento da nova Estratégia da Comissão Europeia para a Igualdade LGBTI +, a UE avançará a nível da promoção e da defesa dos direitos humanos das pessoas LGBTI. Trabalharemos com todos os nossos parceiros, tanto dentro como fora da UE, unindo forças com as organizações internacionais, a sociedade civil e os defensores dos direitos humanos para defender os direitos humanos das pessoas LGBTI e promover a igualdade e o respeito pela diversidade. A UE e os seus Estados-Membros respeitarão os compromissos assumidos no âmbito das diretrizes da UE para promover e proteger o exercício de todos os direitos humanos por parte das pessoas LGBTI e das diretrizes da UE no domínio dos direitos humanos – não discriminação na ação externa.

A União Europeia recorda que todos os direitos humanos são universais, indivisíveis, interdependentes e inter-relacionados. Este facto não pode ser esquecido neste momento de crise mundial, nem quando se regressar à normalidade. Comprometemo-nos a assegurar que a nossa resposta defenda a dignidade e os direitos humanos de todos, sem qualquer tipo de discriminação, e apelamos a que todos os governos, em todo o mundo, atuem de forma idêntica. Ninguém deverá ser esquecido nem nenhum direito humano ignorado.