European Union External Action

 

EEAS content

human rights

Conforme dito na declaração da Alta Representante, Federica Mogherini, em nome da União Europeia, por ocasião do Dia dos Direitos Humanos, «a Declaração Universal afirmou-se como a pedra angular do direito internacional neste domínio, tendo permitido a muitos países criar uma estrutura sólida e resistente em matéria de direitos humanos. Hoje em dia, o número de pessoas que veem os seus direitos humanos ser reconhecidos e respeitados é o maior de sempre na história da humanidade.»

Ainda assim, em muitas partes do mundo, os conflitos e os confrontos não dão sinal de abrandar. A democracia continua a ser posta em causa, as minorias e os defensores dos direitos humanos continuam a ser vítimas de ataques e o espaço disponível para os intervenientes da sociedade civil continua a ser reduzido, lembrando‑nos constantemente que os direitos humanos não podem nunca ser considerados um dado adquirido. 

Este aniversário é também um bom momento para analisar mais de perto o impacto real dos direitos humanos e de todos os esforços incansáveis para respeitar, fazer cumprir, promover e proteger esses direitos e liberdades.

human rights

Nesta ocasião, a UE decidiu reavivar o significado dos direitos humanos para as pessoas e a sociedade em geral, lançando a iniciativa Histórias exemplares em matéria de direitos humanos. O objetivo é reunir os países em torno do compromisso de tomar medidas positivas para fazer face aos desafios em matéria de direitos humanos, tanto a nível nacional como internacional.

A comemoração deste marco histórico representa uma oportunidade única para contar as histórias de heróis ordinários, defensores dos direitos humanos que, em todo o mundo, têm a coragem e a determinação para ser a voz dos que não têm voz. Apoiar o trabalho destes heróis é uma prioridade da política externa da UE em matéria de direitos humanos.

Através desta comemoração, a UE demonstra o seu empenhamento sem tréguas na garantia da universalidade, indivisibilidade, interdependência e inter‑relação entre os direitos humanos e os valores democráticos. Continuaremos a esforçarmo-nos para que a participação, a não‑discriminação, a tolerância, a justiça, a transparência, a responsabilização, a solidariedade e a igualdade prevaleçam nas nossas sociedades, na UE e no resto do mundo.