Comoros and the EU

Scaling up activities of agricultural intensification in nine villages south of Anjouan and initiation of the zone into community management of natural resources

04/09/2018 - 10:43
Agriculture and Food Safety

Scaling up activities of agricultural intensification in nine villages south of Anjouan and initiation of the zone into community management of natural resources.

 

Total Cost (EUR): 363 835

EU contracted amount (EUR): 210 000

Duration: January 2014 - December 2015

Implementing organisation: DAHARI KOMORI YA LEO NA MESO ASSOCIATION

Funding Instrument: Non state actors and local authorities Co-financing (PVD)

Benefitting zone: Comoros

 

STORY: Horta pedagógica para ensinar as crianças a cultivar um futuro melhor nas Comores

 

"Estamos muito satisfeitos com o êxito da horta pedagógica junto das crianças. Além disso, com os fundos obtidos com a venda dos produtos da horta, financiámos uma vedação."

Abdou Chamou, professor primário 

 

CONTEXT

A desflorestação é um grave problema nas Comores (causa erosão, perda de fertilidade do solo e da biodiversidade, desaparecimento dos rios). 80 % da população da ilha de Anjouan vive da agricultura e da pesca. Mas a atividade agrícola está cada vez mais limitada, nomeadamente devido à desflorestação e às suas consequências. A baixa atividade económica leva os jovens da região a abandonarem gradualmente a região. A UE promove o desenvolvimento agrícola e a gestão sustentável dos recursos naturais junto das comunidades locais.

OBJECTIVES

  • Incrementar as atividades de intensificação agrícola em nove aldeias ao sul de Anjouan.
  • Iniciação da zona em gestão comunitária dos recursos naturais.

RESULTS

  • A horta pedagógica de Adda (apoiada pela UE) foi criada em 2014 no âmbito do projeto de intensificação agrícola da ONG Dahari.
  • Até à data, foram criadas três hortas pedagógicas em três aldeias da ilha de Aanjouan : Adda, Outsa e Oouzini.

TESTIMONY

A mudança duradoura cresce a partir das mais pequenas raízes

Abdou Chamou, professor da escola primária da aldeia de Adda (na ilha de Anjouan nas Comores) lamenta que a maioria dos jovens não tenha emprego nem possa ganhar a vida devido à baixa atividade económica.

Desde há três anos, a ONG comoriana Dahari (que significa «sustentável»), tem ajudado os agricultores de Adda a melhorar os seus rendimentos. Abdou está contente porque, contrariamente a projetos anteriores, foi criada uma nova dinâmica: os técnicos da Dahari passam toda a semana na aldeia, o que lhes permite conhecer os habitantes. Assim, torna-se mais fácil transmitir técnicas e variedades melhoradas e mais ecológicas. Com a intervenção dos técnicos da ONG, as terras voltaram a ser férteis e o rendimento melhorou, testemunham os habitantes da aldeia.

Reconhecendo a importância de ensinar as futuras gerações de agricultores, a Dahari propôs uma nova iniciativa para a escola primária: a criação de uma horta pedagógica. Este projeto consiste em ensinar as crianças desde muito cedo a cultivar a terra para que mais tarde se tornem bons agricultores. Além disso, gera receitas que revertem a favor da escola.

Desde a criação da horta pedagógica e após várias sessões de trabalhos práticos, as crianças aprenderam a cultivar tomates, alfaces, couves, cebolas e beringelas. Abdou acompanhou semanalmente as crianças nas suas atividades de sementeira, rega, monda e colheita.

Hoje, a horta entrou numa segunda fase, nomeadamente com a plantação de bananeiras. «Estamos muito satisfeitos com o êxito da horta pedagógica junto das crianças. Além disso, com os fundos obtidos com a venda dos produtos da horta, financiámos uma vedação para a escola»

Muitas pessoas felicitaram Abdou pelo tempo que dedica às crianças e à horta pedagógica. Alguns pais afirmaram ter até recebido conselhos dos filhos sobre as novas técnicas agrícolas. «Hoje, quando olho para os alunos da escola primária, vejo crianças interessadas e realizadas. Estou orgulhoso de ter contribuído para o desenvolvimento da educação na minha aldeia.”

FACTS AND FIGURES

  • A agricultura familiar é a principal atividade de mais de 90% dos habitantes da aldeia.
  • Há uma quinzena de anos, a agricultura era mais fácil: os campos davam boas colheitas e Adda tinha água suficiente para abastecer a região.
  • A atividade agrícola tornou-se cada vez mais limitada, nomeadamente devido à desflorestação.
  • A desflorestação provocou uma forte erosão, o desaparecimento dos rios permanentes e a perda de fertilidade dos solos.

PARTNERS

Editorial Sections: