The Delegation of the European Union to Yemen

EEAS RSS Feeds

Displaying 1 - 10 of 100

Este ano, o mundo acordou para uma realidade diferente: estamos perante a crise sanitária mais difícil da nossa geração. Em algumas partes do mundo, a luta extravasa dos hospitais e laboratórios. Há também os que lutam com armas no terreno. Nenhum país se pode dar ao luxo de travar duas guerras ao mesmo tempo e, no Dia Internacional da Paz, a UE faz eco do apelo lançado pelo secretário¬ geral das Nações Unidas para que se decrete um cessar¬ fogo generalizado.

09/09/2020 — Ultimamente, tem¬ se falado muito de "Europa Global": como fazer da União um interveniente verdadeiramente global num mundo marcado pela rivalidade estratégica entre os EUA e a China, as dúvidas acerca do multilateralismo e as crises sanitárias e ambientais. Aqui fica uma síntese dos meus pontos de vista, que recentemente discuti com os meus colegas comissários.

04/09/2020 – Na passada terça¬ feira, visitei a Líbia, onde me encontrei com as autoridades de um país devastado pela guerra. Logo após o acordo de cessar¬ fogo anunciado a 21 de agosto, a visita teve por objetivo estudar a possibilidade de a UE conceder mais apoio para implementar o cessar¬ fogo e ajudar a resolver o conflito na Líbia. Há uma réstia de esperança que temos de aproveitar.

26/08/2020 – A política externa nunca está parada, mas o verão de 2020 tem sido extraordinariamente agitado, com uma série de crises que parece não ter fim: no Líbano, na Bielorrússia, no Mali e no Mediterrâneo Oriental. Na reunião informal "Gymnich" a realizar em Berlim (27-28 de agosto), temos de estabelecer uma via comum para o futuro. É urgente e viável reforçar a influência internacional da Europa.

A expressão da fé não deve, em nenhuma parte do mundo, dar origem a atos de violência. A intolerância face às diferentes religiões ou crenças continua a conduzir a conflitos, em violação dos direitos humanos. Neste Dia Internacional de Homenagem às Vítimas de Atos de Violência baseada na Religião ou Crença, a UE presta homenagem a todas as vítimas.

21/08/2020 — Na passada segunda¬ feira, inaugurei a Universidade de Verão da Universidad Internacional Menéndez Pelayo, em Santander (Espanha). Debatemos sobretudo as consequências da atual crise para a Europa e para o mundo. Nesta fase, o risco parece grave ao ponto de desestabilizar muitos países em desenvolvimento e de acentuar a tendência para regimes autoritários. Nestas circunstâncias, a Europa tem a enorme responsabilidade de defender o multilateralismo efetivo e de ajudar os países em desenvolvimento mais carenciados.

13/08/2020 – A situação na Bielorrússia tornou¬ se motivo de grande preocupação. Após as eleições presidenciais de domingo passado, Alexander Lukashenko e as autoridades bielorrussas têm de pôr termo à repressão contra o povo bielorrusso e de encetar negociações com a sociedade em geral. Ao longo dos últimos meses, os bielorrussos demonstraram claramente que anseiam pela democracia e pelo respeito pelos direitos humanos. Para que as relações entre a UE e a Bielorrússia possam progredir, é indispensável que haja uma mudança política substancial.

10/08/2020 - As explosões devastadoras que ocorreram em Beirute na semana passada mataram e feriram inúmeras pessoas. Destruíram igualmente uma grande parte da cidade, bem como os meios de subsistência de muitos dos seus habitantes. A comunidade internacional e, em primeiro plano, a União Europeia e os seus Estados-Membros reagiram rapidamente no intuito de aliviar o sofrimento e minimizar os enormes prejuízos causados. Não obstante, como sucede frequentemente com catástrofes desta envergadura, perfilam-se desafios ainda mais importantes e mais difíceis no futuro: milhares de cidadãos libaneses exigem soluções para problemas profundamente enraizados. Enquanto parceiro de longa data do Líbano, a UE colaborará com estes cidadãos para criar um país mais próspero e democrático. Trata-se do nosso dever, por respeito pelas vítimas de 4 de agosto.

Os povos indígenas têm sido excluídos social, económica, política e judicialmente ao longo de séculos. Devido a estes desequilíbrios, estão mais expostos a riscos na difícil conjuntura internacional atual. No Dia Internacional dos Povos Indígenas do Mundo, a UE expressa a sua solidariedade a todos os povos indígenas. A UE está a atuar no terreno para mitigar o impacto da COVID-19 e apela a que sejam envidados esforços a nível mundial para proteger os povos indígenas.

31/07/2020 - Todos os dias assistimos a um agravamento das tensões entre os EUA e a China, com antagonismos em diversas questões. As posições estão a endurecer e aumentam os defensores de um distanciamento, tanto em Washington como em Pequim. Esta rivalidade estratégica entre os EUA e a China será provavelmente o princípio organizador dominante da política mundial, independentemente de quem vencer as próximas eleições presidenciais nos EUA. Neste contexto, temos de nos manter firmes e de definir  uma abordagem própria da UE. Gostaria de refletir aqui sobre alguns princípios que nos deverão nortear.

Pages