Delegation of the European Union to Tajikistan

A UE e os países ALC vão ficar mais próximos: um cabo submarino de grande capacidade de 6000 km permite colmatar o fosso digital entre os dois continentes

31/05/2021 - 12:52
News stories

O cabo de fibra ótica transatlântico EllaLink, cofinanciado pela UE no âmbito do programa BELLA, foi inaugurado em 1 de junho de 2021 durante o evento «Liderar a Década Digital»

«O cabo transatlântico, que beneficia do apoio da UE no âmbito do programa BELLA, é um símbolo concreto e poderoso de uma parceria reforçada entre a UE e a América Latina. Pela primeira vez, vamos ter uma ligação digital direta, segura e de alta velocidade entre os dois lados do Atlântico», declarou a Secretária-Geral Adjunta do Serviço Europeu para a Ação Externa, Helena König. «Para além do valor geoestratégico desta operação, que aproxima duas regiões que partilham a mesma visão, o lançamento do cabo submarino mostra o que a UE e os países da ALC podem conseguir quando se associam no domínio da transformação digital. O cabo reforçará a dimensão digital da nossa parceria, estimulando a investigação, a inovação e o emprego, em benefício dos cidadãos de ambas as regiões.»

Ligando Fortaleza, no Brasil, a Sines, em Portugal, o cabo de fibra ótica submarino, que tem 6 000 km de comprimento, permitirá estabelecer a primeira ligação de dados direta e de grande capacidade entre os dois continentes e fomentar o intercâmbio de dados no domínio da investigação e da educação.

O programa proporcionará oportunidades sem precedentes a nível dos intercâmbios científicos, culturais e empresariais:

  • O programa Bella visa responder às necessidades de interconectividade a longo prazo das comunidades de investigação e educação da Europa e da América Latina nos próximos 25 anos. Graças ao programa, ficarão conectados 65 milhões de utilizadores de mais de 12 000 instituições europeias e latino-americanas.  
  • No que respeita ao setor digital e espacial, o programa BELLA facilitará o acesso aos dados espaciais fornecidos pelo programa Copernicus e por grandes instalações de ambos os continentes (tal como, por exemplo, os observatórios de raios astronómicos e cósmicos da América Latina, o grande acelerador de hadrões na Europa).
  • As empresas da UE e dos países ALC beneficiarão do programa BELLA para continuarem a desenvolver a economia dos dados, nomeadamente nos domínios da computação em nuvem e da telemedicina, assim como das novas tecnologias como a inteligência artificial, a computação de alto desempenho, a observação da Terra, a monitorização epidemiológica e os tratamentos da COVID-I9.
  • O programa Bella facilitará a partilha de dados de computação de alto desempenho e da observação da Terra entre as duas regiões.

Em que consiste o programa BELLA?

A inauguração do cabo transatlântico representa uma etapa importante nas relações birregionais e concretiza a promessa política de aproximar a UE e a América Latina. A ideia de ligar digitalmente os dois continentes recebeu apoio político na última Cimeira UE-ALC em 2015. Atualmente, a conectividade e a eliminação do fosso digital são prioridades fundamentais para uma parceria digital UE-ALC mais estreita.  

Até à data, a UE disponibilizou 26,5 milhões de euros através do programa BELLA, no âmbito de um esforço de cooperação internacional que reúne governos, organismos públicos e empresas da UE e de países parceiros da América Latina.

O programa BELLA é composto por duas componentes, o BELLA-S e o BELLA-T. O BELLA-S é o novo cabo submarino inaugurado em 1 de junho. O BELLA-T centra-se na América do Sul e liga o Brasil (Fortaleza, São Paulo e Porto Alegre), a Argentina (Buenos Aires), o Chile (Santiago), o Equador (Guayaquil) e a Colômbia (Bogotá, Cúcuta na fronteira com a Venezuela e Cartagena). 

Mais informações sobre o programa BELLA: https://ec.europa.eu/international-partnerships/projects/bella-building-europe-link-latin-america_en e https://bella-programme.redclara.net/index.php/en/