Delegação da União Europeia na República de Moçambique

Ciclone IDAI: 12 milhões de Euros de assistência da União Europeia em Moçambique, Zimbabwe e Malawi

Bruxelles, 09/04/2019 - 14:55, UNIQUE ID: 190409_23
Press releases

Ciclone IDAI: 12 milhões de Euros de assistência da União Europeia em Moçambique, Zimbabwe e Malawi

Bruxelas, 9 de abril de 2019

A União Europeia anunciou hoje um montante adicional de 12 milhões de euros em ajuda humanitária para Moçambique, Zimbabwe e Malawi. Este financiamento irá aumentar o apoio às pessoas necessitadas na sequência do ciclone IDAI e das inundações subsequentes.

A ajuda humanitária total da UE em resposta a esta catástrofe natural ascende assim a mais de 15 milhões de euros.

«Continuamos em solidariedade com as pessoas afectadas pelo ciclone IDAI e pelas inundações em Moçambique, no Zimbabwe e no Malawi. Continua a ser necessária ajuda humanitária urgente e estamos a intensificar os nossos esforços para que a ajuda continue a ser canalizada para as pessoas que mais precisam», afirmou Christos Stylianides, Comissário Europeu da Ajuda Humanitária e Gestão de Crises.

Com o anúncio de hoje, 7 milhões de Euros vão ser canalizados para beneficiar as populações afectadas em Moçambique, onde cerca de 1,85 milhões de pessoas necessitam urgentemente de assistência humanitária. Esta assistência proporcionará alojamento, água e saneamento, ajuda alimentar humanitária, saúde e apoio psico-social.

O ciclone coincidiu com o período de colheita agrícola anual, tendo assim posto em causa a segurança alimentar nos próximos meses. A facilitação do acesso a água potável é neste momento motivo de grande preocupação dado o risco de propagação de surtos de doenças associado à excassez do precioso líquido.

No Zimbabwe, 4 milhões de Euros serão canalizados para proporcionar abrigo, água e saneamento e assistência alimentar às pessoas afectadas pelas inundações. As inundações exacerbaram uma crise de segurança alimentar pre-existente, provocada pela seca e por uma situação económica volátil que afecta a quase 3 milhões de pessoas.

No Malawi, as vítimas do ciclone irão beneficiar de assistência no valor de 1 milhão de Euros sob a forma de ajuda alimentar e de apoio para recuperar em os seus meios de subsistência. As inundações neste afectaram mais de 860 000 pessoas, tendo 85 000 destas ficado sem as suas casas e vivendo actualmente em acampamentos improvisados.

Informação de Base

Moçambique, Zimbabwe e Malawi estão localizados numa região muito propensa a crises relacionadas com o clima, tais como ciclones, inundações e secas. Entre 2016 e 2018, a União Europeia apoiou a região da África Austral e do Oceano Índico com mais de 80 milhões de euros em ajuda humanitária, ajuda de emergência e financiamento para mitigação de catástrofes.

O ciclone tropical IDAI atingiu a costa durante a noite de 14 de Março de 2019 perto da Beira, em Moçambique, com chuvas torrenciais e ventos fortes, em direção a oeste no Zimbabwe e provocando inundações maciças no Malawi. O ciclone deixou um rasto de devastação no seu percurso.

O pacote de ajuda humanitária hoje anunciado complementa os 3,75 milhões de EUR de apoio humanitário prestada imediatamente ao ciclone.

Para além desta assistência financeira humanitária, a pedido de Moçambique, foi activado o Mecanismo de Protecção Civil da UE (MPCU) para ajudar as pessoas afectadas pelo impacto devastador do ciclone IDAI. As ofertas de assistência recebidas através do Mecanismo vieram da Áustria, Alemanha, Dinamarca, Espanha, França, Itália, Luxemburgo, Portugal e Reino Unido e coordenadas pelo Centro de Coordenação de Resposta de Emergência (CCRE) da Comissão Europeia. Uma Equipa de Proteção Civil Europeia está em Moçambique desde 23 de Março de 2019 para assegurar a coordenação logística e a distribuição da ajuda prestada pelos Estados-Membros da UE. Um epidemiologista do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (CEPCD) apoia na coordenação das equipas médicas de emergência e outras actividades de saúde pública.

Cerca de 60 000 itens de emergência e oito equipas de especialistas em protecção civil com equipamento foram disponibilizados pelos Estados-Membros da UE e enviados para Moçambique. Trata-se de equipamentos para purificação de água, equipas médicas de emergência, tendas de abrigo, kits de higiene, alimentos e colchões e telecomunicações por satélite para o pessoal humanitário no terreno. A União Europeia financiou 75 % das despesas de transporte destas equipas e equipamentos no montante total de cerca de 4 milhões de EUR. Além disso, foi enviada a Moçambique uma equipa de 11 peritos de sete Estados-Membros (Alemanha, Finlândia, Países Baixos, Portugal, Roménia, Suécia e Eslovénia) a fim de contribuirem para a logística e aconselhamento.

Os serviços de cartografia por satélite Copernicus da União Europeia ajudaram a delimitar áreas afectadas e a planear operações de assistência pós-catástrofe.

Languages:
Secções editoriais: