Delegation of the European Union to Malaysia

União Europeia apoia projecto de leilões de energias renováveis em Moçambique

30/09/2020 - 15:16
News stories

A contribuição global da União Europeia ao sector da energia em Moçambique é de mais de 180 milhões de Euros. Este apoio é assente no compromisso da União Europeia no sector climático e energético, denominado Pacto Verde Europeu, que se propõe a contribuir para o alcance da neutralidade nas emissões de CO2 da Europa até 2050, com um objectivo intermédio de 55% para 2030.

 

A União Europeia (UE) e o Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) assinaram, em Maputo, dois acordos de financiamento com o Governo de Moçambique para o Programa de Leilões de Energias Renováveis (PROLER), evento testemunhado pelo Ministro dos Recursos Minerais e Energia (MIREME), Max Tonela, e pelo Presidente da República, Filipe Nyusi. O valor total do programa é de 37 milhões de Euros.

A coincidir com este compromisso, o MIREME lançou, também hoje, o programa de leilões para a adjudicação de três projectos de energias renováveis, nomeadamente, três sistemas solares nos distritos de Dondo, em Sofala, e Manje em Tete, distrito de Lichinga na província de Niassa, e uma central eólica em Inhambane. Com estes leilões, procura-se gerar um total de 200 Megawatts de energias renováveis.

Espera-se destas iniciativas investimentos esperados de 200 milhões de euros, assim como oportunidades para geração de energia por via de mecanismos mais transparentes, mais participativos com amplo investimento do sector privado, mais infraestruturas de energia, tudo num processo que se espera menos custoso e de rápida execução.

A contribuição global da União Europeia ao sector da energia em Moçambique é de mais de 180 milhões de Euros. Este apoio é assente no compromisso da União Europeia no sector climático e energético, denominado Pacto Verde Europeu, que se propõe a contribuir para o alcance da neutralidade nas emissões de CO2 da Europa até 2050, com um objectivo intermédio de 55% para 2030, metas para as quais a promoção e o uso das energias renováveis é fundamental.

Na ocasião, o Embaixador da União Europeia, Antonio Sánchez-Benedito Gaspar, saudou o engajamento do Presidente e do Goverbo de Moçambique para a massificação da geração e uso das renováveis e limpas, como um dos caminhos mais certos para garantir o acesso à Energia para Todos os moçambicanos até 2030.

O Embaixador saudou também a parceria público-privada na iniciativa dos leilões de energias renováveis, como um acto que vai acelerar o fornecimento e expansão de energia à rede eléctrica nacional, dessa forma levando-se a energia para todos, em particular nas regiões Centro e Norte do país, em que o PROLER está focado.

Avançou o Embaixador que a União Europeia deverá em breve anunciar um apoio financeiro significativo para aumentar as ligações domésticas à rede por via do programa ProEnergia – que vai suportar um fundo de apoio às pequenas e médias empresas fornecedoras de serviços energéticos fora da rede, em resposta ao impacto da Covid-19 ou, ainda, para apoiar um programa específico para a redução de perdas técnicas e comerciais na rede da EDM, entre outras acções.

As parcerias multifacetadas no sector da energia deverão contribuir para a melhoria da segurança energética em Moçambique, satisfazer a procura crescente de energia através de novas ligações à rede e fora da rede, facilitar o fornecimento de melhores serviços públicos básicos e, muito importante, criar oportunidades de emprego e riqueza para os jovens, e de empoderamento para as mulheres.  

Editorial Sections: