Delegation of the European Union
to Indonesia and Brunei Darussalam

EEAS RSS Feeds

Displaying 1 - 10 of 178

Numa altura em que o mundo continua a lutar contra os efeitos da pandemia, os direitos humanos de muitos cidadãos que têm uma religião ou têm convicções humanistas e/ou ateias estão cada vez mais ameaçados. No Dia Internacional de Homenagem às Vítimas de Atos de Violência baseada na Religião ou Crença, a UE manifesta a sua solidariedade com todas as vítimas de perseguição, independentemente do local onde se encontrem.

Em 19 de agosto, homenageamos todos aqueles que dedicam o seu tempo, esforço e capacidades a ajudar os outros. Os trabalhadores humanitários podem não ser atletas olímpicos, mas, nas suas maratonas de trabalho, arriscam muitas vezes as suas vidas para proteger os outros. Não aspiram a alcançar o melhor tempo, mas sim o resultado mais eficaz. A tocha que transportam é a da solidariedade e do altruísmo. A UE presta homenagem a todos os trabalhadores humanitários que salvam vidas e ajudam os mais vulneráveis em tempos de crise em todo o mundo. A sua coragem, vontade e determinação são a vitória de todos nós.

O que começou como um gesto simbólico por parte de alguns países com a ajuda de uns quantos voluntários transformou-se num movimento global que conta agora com a participação de centenas de pessoas e permite recolher toneladas de resíduos nas praias, rios e lagos do mundo inteiro. Em 2019 a iniciativa abrangeu 80 países. Em 8 de agosto lançámos oficialmente a edição de 2021 da campanha #EUBeachCleanup, juntamente com as Nações Unidas e com a ajuda dos nossos pequenos amigos azuis, os Estrunfes. A campanha deste ano, centrada na proteção da vida marinha, prevê ações físicas e digitais em que todos podem participar. A campanha atingirá o seu auge em 18 de setembro, com a celebração do Dia Mundial de Limpeza das Praias.

On the International Day of the World’s Indigenous Peoples, we celebrate the resilience and resourcefulness of indigenous peoples around the world. This year, we join the United Nations in the call for a new social contract, where no one is left behind.

No Dia da Justiça Penal Internacional, a União Europeia reafirma o seu compromisso de proteger a independência judicial do Tribunal Penal Internacional e a integridade do Estatuto de Roma, opondo¬ se firmemente a qualquer tentativa de desacreditar o Tribunal e obstruir o seu trabalho.

Prosseguem os esforços mundiais para combater a pandemia, à medida que a população mundial continua a aumentar e a ter acesso desigual aos cuidados de saúde. No Dia Mundial da População, sensibilizemos as pessoas para a importância da saúde sexual e reprodutiva e dos direitos conexos em todo o mundo e para a forma como protegemos e capacitamos as gerações presentes e futuras.

No Dia Internacional de Apoio às Vítimas da Tortura, a UE reitera o seu firme empenho em continuar a trabalhar para construir um mundo sem tortura

A pandemia da COVID-19 amplificou os desafios em matéria de direitos humanos e democracia em muitas regiões do mundo. É por esta razão que a UE atribui uma importância primordial aos direitos humanos no âmbito da sua política externa. Este é um dos principais aspetos do Relatório Anual da União Europeia sobre os Direitos Humanos e a Democracia no Mundo em 2020, recentemente adotado. Embora o mundo esteja a ser confrontado com desafios únicos, a UE mantém o seu papel de liderança no apoio aos direitos humanos, à democracia e ao Estado de direito, tanto dentro das suas fronteiras como no resto do mundo.

Hoje, celebramos o Dia Mundial dos Refugiados, no contexto de uma pandemia que teve um impacto negativo na saúde pública e na economia. Os refugiados, as pessoas deslocadas internamente, os migrantes e os apátridas foram os mais afetados por esta crise e correm o risco de ficar para trás. Este ano, ao refletirmos sobre este Dia Mundial dos Refugiados, também devemos recordar que, para ganharmos a batalha contra a pandemia, todos devem ter acesso a vacinas seguras e efetivas a nível mundial.

«Tinha muito medo de ir à escola e tentava concentrar-me nos meus estudos» afirma Chinsisi, um rapaz albino de 14 anos, sobre as adversidades que tem de enfrentar para frequentar a escola e estudar. As pessoas com albinismo, como Chinsisi, são vítimas de mitos alimentados pela superstição e de múltiplas formas de discriminação em todo o mundo.

Pages