Delegation of the European Union to Georgia

União Europeia canaliza 24,5 milhões de euros para ajuda humanitária na região da África Austral e do Oceano Índico

12/04/2021 - 11:12
News stories

O novo financiamento da União Europeia de 24,5 milhões de euros vai reforcar a ajuda humanitária na região com enfoque nas vulnetabilidades causadas por factores naturais e conflito.

 WFP/Falume Bachir, 2020

Esta nova ajuda humanitária da União Europeia (UE) à região procura dar uma resposta às consequências humanitárias da violência no norte de Moçambique, para onde serão canalizados 7,86 milhões de euros de financiamento.

Além disso, a ajuda da UE vai apoiar medidas contra a crise sócio-económica no Zimbabwe, para fazer face à insegurança alimentar e para apoiar a preparação e resposta à COVID-19.

No Madagáscar, a UE vai prestar assistência para fazer face à grave crise alimentar e nutricional. Outros 6 milhões de euros serão dedicados a ajudar crianças de toda a região a terem acesso à educação. Outros 8 milhões de euros serão fornecidos para melhorar a preparação da região para desastres.

O Comissário Europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarčič, afirmou que “a região da África Austral e do Oceano Índico é altamente vulnerável a vários perigos naturais, incluindo ciclones, secas e epidemias. Em alguns países da região, isso é exacerbado por um ambiente político e socioeconômico desafiador, enquanto a situação geral é agravada ainda mais devido à pandemia do coronavírus. A assistência da UE visa atenuar as consequências humanitárias nas populações mais vulneráveis ​​e melhorar a preparação para catástrofes na região.”

A pandemia de coronavírus exacerbou uma situação já difícil na África Austral e na região do Oceano Índico, já conhecida por enfrentar riscos naturais, incluindo secas e ciclones recorrentes, além de desafios económicos e políticos. Os desastres representam uma importante fonte de risco para as populações mais vulneráveis ​​e podem prejudicar os ganhos de desenvolvimento. Devido à pandemia do coronavírus, muitas famílias pobres enfrentam dificuldades alimentares e não alimentares devido aos bloqueios e outras medidas restritivas relacionadas ao coronavírus.

Desde 2014, a UE mobilizou mais de 237 milhões de euros em assistência à região, prestando especial atenção à preparação para catástrofes. A UE fornece ainda ajuda sob a forma de transferências financeiras de emergência a pessoas vulneráveis ​​afectadas por catástrofes e está também a ajudar a responder às necessidades alimentares e nutricionais nas áreas afectadas.

Com a deterioração da situação de segurança na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, a UE está a apoiar as pessoas deslocadas e afectadas vulneráveis ​​com abrigo, alimentação, protecção e acesso a cuidados de saúde.

Editorial Sections: