Delegation of the European Union for the Pacific
Responsible for Cook Islands, Federated States of Micronesia, Fiji, Kiribati, Nauru, Niue, Palau, Republic of Marshall Islands, Samoa, Solomon Islands, Tonga, Tuvalu, Vanuatu as well as the three Overseas Countries and Territories in the Pacific.

Chegou o momento de agir #em prol da Natureza

05/06/2020 - 07:53
News stories

A biodiversidade está na origem de toda a vida, tanto na terra como debaixo de água. Tem impacto na saúde humana, dá-nos o ar que respiramos, a água que bebemos, os alimentos que consumimos, aumenta a resistência natural às doenças, fornece-nos os medicamentos e permite atenuar as alterações climáticas. O surgimento da COVID-19 demonstrou que, quando destruímos a biodiversidade, destruímos o sistema que sustenta a vida humana. A natureza está a enviar-nos uma mensagem. Assim, este ano o tema para o Dia Mundial do Ambiente é a biodiversidade — uma preocupação que é simultaneamente urgente e existencial. Proteger a natureza e inverter a degradação dos ecossistemas constitui o objetivo central do Pacto Ecológico da UE e é a lógica subjacente à nova estratégia da UE em matéria de biodiversidade para 2030.

A alteração num elemento da cadeia de biodiversidade pode ter um impacto sobre todo o sistema da vida, com possíveis consequências negativas. As ações humanas, incluindo a desflorestação, a invasão dos habitats das espécies selvagens, a intensificação da agricultura e a aceleração das alterações climáticas têm levado a natureza além dos seus limites. A perda de biodiversidade terá graves consequências para a humanidade, incluindo o colapso dos sistemas alimentares e de saúde.

A população mundial de espécies selvagens diminuiu 60 % nos últimos 40 anos. Pelo menos 40 % da economia mundial e 80 % das necessidades das populações pobres dependem dos recursos biológicos. Por essa razão, a perda de biodiversidade é a ameaça ambiental global mais crítica paralelamente às alterações climáticas — e as duas estão indissociavelmente ligadas. 

 

A luta contra as alterações climáticas e a degradação ambiental é um problema global, que requer uma resposta global. O Pacto Ecológico Europeu visa lutar contra as alterações climáticas, preservar a biodiversidade, os oceanos e as florestas, promover uma agricultura sustentável e uma alimentação segura, reduzir a poluição, desenvolver cidades verdes e uma economia circular. 

 

Enquanto parte essencial do Pacto Ecológico Europeu, a Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030 tem por objetivo proteger 30 % das terras e do mar na UE e assegurar uma partilha justa e equitativa dos benefícios da utilização dos recursos genéticos associados à biodiversidade, colocando a UE numa posição de liderança mundial. 

 

Num mundo em que a utilização de materiais deverá duplicar até 2060, devemos também procurar utilizar os recursos de forma mais eficiente e aumentar os volumes obtidos a partir da reciclagem. O novo Plano de ação da UE para a economia circular, outro elemento essencial do Pacto Ecológico Europeu, visa preparar a nossa economia para um futuro verde, reforçar a nossa competitividade, mantendo a proteção do ambiente, e conceder novos direitos aos consumidores.

 

A UE só pode ter êxito se os seus esforços conduzirem a uma transição mundial para uma economia justa, neutra em termos de clima, eficiente em termos de recursos e circular, e que respeite a natureza. E isto é válido mesmo perante a crise da COVID-19. Na sua resposta global à COVID-19, a UE está determinada a defender os seus objetivos estratégicos em matéria de ambiente e alterações climáticas, tal como estabelecidos no Pacto Ecológico Europeu, que não só permanecem válidos, como são hoje mais importantes do que nunca.

 

Iniciativas ambientais apoiadas pela UE — Histórias de sucesso

 

A história de Le Thi Trang — Vietname

Le Thi Trang participou na iniciativa agir #em prol da Natureza. Mobilizou a sua comunidade para proteger a península de Son Tra no Vietname contra o desenvolvimento descontrolado do turismo, salvando assim a maior população de semnopitecos-jaspeados, (Pygathrix nemaeus) do país, ameaçados de extinção. Trang faz parte do grupo de 10 «heróis de zonas críticas» reconhecidos pelo Fundo de Parceria para os Ecossistemas de Importância Crítica, o Critical Ecosystem Partnership Fund, apoiado pela UE, por dedicarem a sua vida à proteção da biodiversidade.  

«Em particular, acredito na capacitação dos jovens para salvar a vida selvagem. Assim, vou focar-me em dar o exemplo e orientar os jovens ambientalistas locais para desenvolverem as suas carreiras», afirma La Thi Trang Ler a história de Trang.

 

Trang com colegas da Reserva Natural de Son Tra © GreenViet

 

Proteger os recursos das zonas húmidas no Sara

Apoiado pela UE, o projeto «Reforçar os conhecimentos especializados na África subsariana sobre aves e a sua utilização racional para as comunidades e o seu ambiente» (RESSOURCE) visa melhorar a gestão dos recursos naturais nas grandes zonas húmidas do Sael, das quais as populações locais colhem muitos benefícios, nomeadamente em termos de segurança alimentar e de desenvolvimento local. As aves aquáticas constituem o principal recurso natural visado pelo projeto. O projeto RESSOURCE, coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) é uma iniciativa conjunta destinada a garantir um ambiente sustentável. Informações sobre o programa RESSOURCE (em francês).

 

História de Nirina, Madagáscar

Nirina, uma empresária e chefe de uma família monoparental em Madagáscar, está a seguir uma formação de criação de aves de capoeira para não depender da caça selvagem para alimentar a sua família. A UE está a ajudar Nirina a melhorar a segurança alimentar e a conservação e utilização sustentável da vida selvagem, através do programa de gestão sustentável da vida selvagem.

«O que é muito difícil, porque sou sozinha, é criar as minhas duas filhas... fui convidada a participar neste curso de formação de criação de galinhas. Deixaremos de ter problemas alimentares se o projeto funcionar bem, mas também ganharemos dinheiro e espero que as pessoas nos possam ver como um exemplo a seguir», explica Nirina. Veja a sua história:

 

Garantir o acesso a água potável e saneamento em Quiribáti

Os principais objetivos do Pacto Ecológico Europeu incluem a luta contra a crise ambiental, em especial a poluição do ar, da água e do solo. A água potável deve estar disponível em quantidade suficiente, ser acessível, de qualidade aceitável e a preços comportáveis para todos, sem discriminação. Contudo, apesar dos progressos, milhares de milhões de pessoas ainda não têm acesso a água potável nem a saneamento. Acaba de ser lançada uma nova parceria entre a UE, a UNICEF e o Governo de Quiribáti, a fim de melhorar o acesso à água, ao saneamento e a uma melhor higiene para as comunidades que vivem nas ilhas mais afastadas em Quiribáti.

 

As delegações disponibilizam tempo #em prol da Natureza

As delegações da UE estão igualmente empenhadas em disponibilizar tempo em prol da natureza, na medida em que contribuem para a aplicação do Pacto Ecológico Europeu nas nossas parcerias em todo o mundo.

 

 

Secções editoriais: