Delegation of the European Union to El Salvador

Segurança Marítima no Golfo da Guiné:G7 ++ Encontro de amigos GdG alcança importantes avanços em Cabo Verde

06/12/2016 - 12:12
Summits


Os G7 ++ Amigos do Golfo da Guiné (GdG) alcançaram um importante avanço durante o encontro na Cidade da Praia, no passado dia 2 de Dezembro. Cabo Verde confirmou a criação do centro de coordenação internacional para a sua zona. A Coordenadora Sênior do Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE) para o Golfo da Guiné, Hélène Cavé, e a Oficial de Política do SEAE, Patricia Davies, participaram da reunião.
 

O Golfo da Guiné (GdG) é considerado um dos pontos mais perigosos do mundo para os marítimos, com ataques violentos regulares de assalto à mão armada no mar e, ainda mais preocupante, um aumento no último ano de ataques de "sequestro por resgate", culminado com a morte dos marítimos. O G7, a UA, a CEDEAO, a Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) e vários outros países interessados ​​(PT, ES, NL, DK, BE, Noruega, Brasil, etc.) têm vindo a juntar esforços desde 2013 para aumentar a segurança no GdG.

A UE adoptou uma estratégia própria para o Golfo da Guiné em Março de 2014 e um plano de acção detalhado para esta sub-região em Março de 2015.


Um elemento chave desta luta é o estabelecimento de uma arquitectura ambiciosa (a denominada arquitectura de Yaoundé, estabelecida em Junho de 2013 pelos Chefes de Estado da CEEAC e da CEDEAO), com a previsão de seis centros de coordenação multinacionais regionais para assegurar uma rápida partilha de informação e Coordenação entre os países da África Ocidental e Central. Na reunião foram partilhados relatórios sobre o ponto de situação da criação destes centros, que beneficiam do apoio financeiro e técnico dos Amigos do G7 ++, nomeadamente da EU e de alguns programas bilaterais da UE e dos Estados Unidos, bem como da Organização Marítima Internacional (OMI) e do Programa de Crime Marítimo Global do UNODC (Atlântico). Foi anunciado que o Centro de Coordenação Inter-Regional (ICC) em Yaoundé deverá estar operacional nos próximos três meses e que o Centro Regional de Coordenação Marítima da África Ocidental (CRESMAO) será inaugurado em Abidjan antes de Junho de 2016. O centro da Zona Marítima da CEDEAO ainda não está atribuído a um Estado-anfitrião (entre Cabo Verde, Senegal, Gâmbia e Guiné-Bissau).



O Ministro dos Negócios Estrangeiros e Defesa de Cabo Verde, Luis Filipe Tavares, confirmou na reunião do G7 ++ que Cabo Verde está pronto para acolher o centro de coordenação multinacional da Zona G, contando com o apoio dos seus parceiros internacionais, está declaração foi acolhida com grandes aplausos por todos os participantes. De facto, este é um grande avanço estratégico para o país, que cobre uma área marítima muito extensa. A decisão reflecte também a determinação do novo governo cabo-verdiano de desempenhar um papel mais activo no domínio da segurança marítima, bem como de reforçar, em geral, a cooperação com a UE.

O programa da reunião incluiu também visitas ao navio militar Espanhol Serviola, e ao navio de pesquisa hidrográfica português Gago Coutinho.

A Delegação da UE colaborou na organização desta importante reunião e prestou igualmente apoio financeiro para assegurar a tradução e a logística.