Delegation of the European Union to China

UE contribui com €183 milhões para a redução da dívida para 29 dos países mais pobres e mais vulneráveis do mundo

Brussels, 26/11/2020 - 09:57, UNIQUE ID: 201126_64
Press releases

Em conformidade com a proposta da presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, para uma Iniciativa de Recuperação Global, a UE contribui com € 183 milhões para a redução da dívida dos países de baixa renda. O apoio libertará recursos dos países para aumentar as suas despesas sociais, sanitárias e económicas em resposta à crise da COVID-19.

Jutta Urpilainen, Comissária responsável pelas Parcerias Internacionais, declarou: «A Comissão apoia os países parceiros em manter o seu caminho rumo aos ODS, apesar da situação financeira dramática. Os níveis da dívida já eram elevados antes da crise, em muitos países estão agora a tornar-se insustentáveis. Foi por esta razão que decidimos contribuir com 183 milhões de euros para a redução da dívida através deste mecanismo do FMI.»

Kristalina Georgieva, Diretora Geral do FMI, participou no Conselho Europeu dos Negócios Estrangeiros/Formação para o Desenvolvimento (CNE/DEV), a fim de maximizar a sensibilização sobre o agravamento da situação da dívida em muitos países.

A UE está na vanguarda das parcerias internacionais

Os fundos canalizados através do Catastrophe Containment and Relief Trust (CCRT) do FMI irão ajudar 29 dos países mais pobres e vulneráveis do mundo.

O apoio libertará recursos dos países para aumentar as suas despesas sociais, sanitárias e económicas em resposta à crise da COVID-19.

A experiência adquirida com a primeira parcela do CCRT mostrou que os países beneficiários conseguiram aumentar as suas despesas prioritárias previstas para 2020 em cerca de 1.2 pontos percentuais do PIB, com as despesas para a saúde e a proteção social que aumentaram, em média, cerca de 0.5 ponto percentual.

Outro benefício deste apoio à liquidez a curto prazo é que contribuirá igualmente para a estabilidade macroeconómica dos países. 

Com este novo compromisso, a UE torna-se o maior doador da CCRT, que equivale atualmente a 505 milhões de USD.

 

Équipes éditoriales: