Ciência e Tecnologia

A União Européia (UE) possui estratégias para melhorar a qualidade das pesquisas científicas e reforçar a relação entre a Indústria e a Ciência, a fim de gerar demanda por novos produtos, processos e serviços. A globalização econômica está cada vez mais intensa, produz novos atores internacionais e oferta bens públicos à escala mundial. Isso reforça a necessidade de uma cooperação internacional em matéria de ciência e tecnologia.

Conselheiros foram nomeados em 2008 para atuarem nos temas de C&T (Ciência e Tecnologia) e TIC (Sociedade da Informação) na Delegação da União Européia em Brasília, a fim de desempenhar um papel importante na implementação dos acordos internacionais. Em um primeiro momento, a UE ofereceu uma Parceria Estratégica com o Brasil, e mais tarde, uma Parceria UE-Brasil em Ciência e Tecnologia.

Em todo o mundo, pesquisadores e estudantes, assim como instituições e indústrias inovadoras, visam ir além das oportunidades de ensino (formação) oferecidas nos países europeus e nos EUA. A cooperação não deve ser centralizada em centros de aprendizagem e de pesquisa, mas que busque estar em nível mundial.

Integrar a cooperação internacional no âmbito do 7.° PQ (Programa-Quadro) tem como objetivo enfrentar os desafios com mecanismos inovadores. Existem três objetivos interdependentes:

  • apoiar o desenvolvimento científico e econômico europeu formando parcerias estratégicas com outros países;
  • facilitar o contato com países parceiros permitindo melhor acesso à pesquisa realizada em outras partes do mundo;
  • dar resposta a problemas específicos ou globais dos países terceiros (por exemplo, contribuindo para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio).

O lançamento do 7.º Programa-Quadro de PDT (Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico) da UE para 2007-2013 enfatiza a cooperação internacional no que se refere à pesquisa. Ter uma massa crítica e uma infra-estrutura em grande escala é essencial para avançar na pesquisa com parcerias internacionais.